Tempo de leitura: 05 Minutos

 

Ao falar sobre qualidade de vida, é necessário realizar uma análise comportamental completa envolvendo aspectos sociais, emocionais, físicos e organizacionais. O fator organizacional sempre foi tratado com menor relevância, mas após a Revolução Industrial, com a substituição da mão de obra humana pelo maquinário, o trabalho se tornou algo mais direcionado, abrindo espaço para previsão e prevenção de riscos e estudos direcionados para melhoria de atividades.

 

Neste campo, destaca-se a ergonomia, o estudo que se iniciou da relação do homem com a máquina, e hoje é vista como a ciência que entende a relação humana, com os componentes de um determinado sistema. Sua responsabilidade é garantir a aplicabilidade de teorias, medidas, estudos e dados, visando aprimorar o bem estar humano, resultando na melhoria de desempenho de uma determinada atividade.

 

A ergonomia organizacional nasce da junção entre os estudos voltados para saúde física e cognitiva, levando em consideração o tempo em que as pessoas passam em seus postos de trabalho, pois em diferentes culturas, a jornada de trabalho ocupa uma fração significativa do dia, ou seja, é necessário garantir o planejamento de medidas para que o trabalho seja executado com qualidade e sem oferecer riscos à saúde do trabalhador.

 

A medida ergonômica deve ser aplicada de acordo com a atividade desenvolvida pelo profissional. Dados relevantes para a criação de medidas de melhoria e prevenção levam em consideração fatores como o tempo em determinada posição, aplicação de força e dimensão do ambiente disponível para realização de atividades.

 

O desenvolvimento de medidas ergonômicas é positivado por Normas Regulamentadoras (NR 17), e seu estudo é realizado com a junção de um Técnico em #SegurançaDoTrabalho, um ergonomista e um Fisioterapeuta.

 

           Mostrando interesse pela boa saúde de seus funcionários, houve um aumento nas pesquisas por soluções ergonômicas por parte das grandes organizações. Porém, as medidas de maior aderência são as culturais, onde a empresa oferece momentos de descontração aos funcionários. A prática de ginástica laboral vem ganhando um considerável espaço em ambientes onde se praticam atividades informativas, como escritórios, repartições, e setores que envolvem trabalhos de menor movimentação humana.

 

           Na AGMOV desenvolvemos soluções visando à melhoria em atividades de movimentação de carga. Nossos produtos são voltados pensando na prática ergonômica, também voltada para conscientização. Dessa forma, desenvolvemos dispositivos com foco em #EliminarRiscos e promover a redução do número de #AcidentesDeTrabalho. Além disso, com intenção de educar os colaboradores sobre a necessidade de eliminar as atividades de trabalho, que podem resultar em doenças laborais adquiridas por uso inadequado de equipamentos, má postura, e movimentos prejudiciais de maneira contínua.

 

 

 

Empresas que investem na qualidade de vida dos seus funcionários e aplicam medidas que efetivamente colaboram com seu bem estar, são mais admiradas por seus funcionários, e tendem a receber um número maior de resultados positivos.

 

           Ao pensar em aplicações de medidas ergonômicas, é necessário investir em um estudo detalhado sobre a atividade praticada, e levar em consideração todas as características, para assim calcular as ações que eliminarão os possíveis riscos oferecidos ao trabalhador.